Entrevista a Cristóvão Crespo, candidato do PPD/PSD à CM Monforte

– Quais são os principais objetivos e prioridades para o Concelho de Monforte?

Conforme já afirmámos em respostas anteriores, é preciso tornar o Concelho de Monforte atrativo para os jovens de forma a mantê-los quando chegam ao período da vida ativa, criar condições para que os que cá estão se sintam plenamente realizados e recompensados e assegurar que os mais velhos usufruam das melhores condições na velhice.

É necessário atrair investimento para criar riqueza e emprego para poderem ser distribuídos os benefícios dessa aposta.

Entendemos que o mundo rural terá de ser devidamente respeitado, é a base da nossa sustentabilidade, mantendo um apoio e diálogo constante nessa área, para poder potenciar os outros setores.

Fruto desta sinergia teremos de incentivar as empresas ambientalmente responsáveis, os modos de produção tradicionais da nossa região, mas não esquecendo o aproveitamento das potencialidades do regadio. É fundamental dar a cara pela agricultura no nosso Concelho.

Permite ainda o reforço do papel do turismo como setor determinante no Concelho, dadas as condições que cria na vertente natureza e de valorização do património cultural.

As Instituições da Economia social, também tem que ser acarinhadas porque são fator de criação de emprego e de manutenção das pessoas, para além da ação social que promovem junto de toda a população, sejam jovens ou menos jovens.

Acompanhar e pugnar pela qualidade da prestação de cuidados de saúde, indispensável para o bem-estar de todos.

Especial atenção às questões relacionadas com a segurança porque são fundamentais para a estabilidade emocional das pessoas e do regular funcionamento da atividade económica.

A qualificação é determinante para criar melhores condições de empregabilidade por isso a Câmara Municipal, terá de ser parceiro ativo na construção das melhores condições para uma educação de qualidade para as nossas crianças e jovens.

Apesar dos incentivos que tem vindo a ser anunciados a regeneração urbana continua sem ter resultados que se vejam, continua ainda no domínio das promessas, é necessário fazer aposta forte para se tornar realidade concreta.

Ligado ainda à agricultura e à pecuária, defender o touro e o cavalo enquanto elementos fundamentais da tourada, produto do saber de gerações de nossos antepassados, não permitindo a afronta deste nosso património.

Vamos apoiar o movimento associativo do Concelho, pelos relevantes serviços que presta à comunidade, sendo obrigação do Município potenciar essa capacidade instalada, para melhor servir a população.

– Qual é aquele problema que promete resolver? Quais as maiores promessas que pode fazer à população do Concelho?

A intervenção política não pode ser colocada ao nível da promessa fácil ou avulsa, nunca concretizada ou concretizada a muito longo prazo, por isso a candidatura do Partido Social Democrata assume compromissos, sendo o principal, a total entrega ao trabalho de colocar Monforte no topo dos concelhos com melhor qualidade de vida da população.

Não nos podemos conformar por não sermos os piores, ainda existirem outros piores, queremos comparar com os melhores, ser os melhores!!

– Quais as expetativas para estas eleições?

Consideramos que é fundamental que a população se mobilize em torno da nossa candidatura, porque as nossas equipas, aos diferentes órgãos, são as que melhores respostas podem dar às aspirações da população do Concelho.

Estamos com expetativas elevadas, certos que vamos obter um bom resultado com eleitos nos diversos órgãos autárquicos, sendo a dimensão do resultado aquela que os eleitores quiserem e que respeitaremos democraticamente.

– Qual é o orçamento global da sua candidatura?

O orçamento que a candidatura apresentou ao Tribunal Constitucional é de 7 500,00 euros, muito longe dos valores apresentadas pelas outras candidaturas concorrentes (na ordem das dezenas de milhares de euros), e ainda assim a nossa previsão de gastos aponta o valor mais baixos, a rondar 6 000,00 euros.

Siga a numeração para continuar a ler a entrevista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *