Tomada de Posse da Assembleia e Câmara Municipal

Notícia publicada por CM Monforte

A Sessão Solene de Tomada de Posse e Instalação dos Órgãos Assembleia Municipal e Câmara Municipal de Monforte para o Mandato 2017/2021 realizou-se no dia 20 de outubro, a partir das 21.00h., na Sala Polivalente Municipal de Monforte, onde compareceram cerca de 500 pessoas, entre as quais populares, familiares e amigos dos eleitos e representantes de inúmeros organismos públicos e privados, que quiseram testemunhar o ato e felicitar todos os eleitos, embora as maiores saudações tenham recaído, obviamente, sobre o Presidente do Executivo reeleito, Gonçalo Lagem, e restantes três Vereadores da CDU, a lista vencedora, nomeadamente, Fernando Saião, Mariana Mota e Emídio Mata. Refira-se que o PS perdeu um dos seus dois anteriores vereadores, reelegendo o seu candidato Miguel Rasquinho.
Para além dos Presidentes das Juntas de Freguesia do Concelho, que têm assento por inerência na Assembleia Municipal, designadamente, José Manuel Bento (PS), de Assumar, Pedro Bagorro (CDU), de Monforte, António Raposo (CDU), de Santo Aleixo, e Joaquim José Peixe (CDU), de Vaiamonte, integram o Órgão Deliberativo do Município os seguintes membros eleitos diretamente: Rui Maia da Silva (CDU), Carlos Moreira (PS), Joaquim Gabriel Martins (CDU), Maria Cecília Nisa (CDU), Manuel Soeiro (PS), Natércia Monteiro (CDU), Sandra Capitão (PSD), Susana Castro Barradas (CDU), Manuel Pintado (PS), Pedro Cristóvão (CDU), Rui Castro (CDU), José Raimundo da Silva (PS), Luís Biguino (CDU), Maria João Falcão (PSD) e Nuno Barradas (CDU).

Depois de ter sido instalada a Assembleia Municipal, elegeram-se, para constituir a Mesa, os deputados da CDU Rui Maia da Silva, Susana Castro Barradas e Natércia Monteiro, ocupando, respetivamente, os lugares de Presidente e 1ª e 2ª Secretárias.

Transcrevemos, na íntegra, o discurso proferido pelo Presidente do Município:

A primeira palavra vai para todos aqueles que, após este ato, terminam as suas funções na qualidade de eleitos locais. Obrigado pela dedicação que emprestaram ao Concelho de Monforte, ao longo destes anos.

De seguida, saudar todos os candidatos nestas eleições que, não sendo eleitos, souberam, com elevação, respeitar os vencedores e honrar a democracia. De uma forma geral, saudar e agradecer a todos os munícipes que trabalharam em todo o processo eleitoral e nas mesas de voto, contribuindo decisivamente para um Concelho livre, de direito e de referência democrática. A todos os eleitores que em nós confiaram, o nosso muito obrigado! São vocês os grandes vencedores desta expressiva, clara e inequívoca votação, culminando na maior vitória de sempre do Concelho de Monforte.

Obviamente dedico esta vitória a todos os munícipes do Concelho de Monforte, em particular a todo o Executivo e Gabinete de Apoio que me acompanharam ao longo dos últimos 4 anos, a todos os funcionários da Câmara e, como não poderia deixar de ser, a todas as pessoas que nos acompanharam nos 12 dias de campanha eleitoral.

Terminado o processo eleitoral e determinados os vencedores em todos os órgãos, é tempo de esquecermos o que nos separa e recordar o que nos une. E é muito mais aquilo que nos une, do que aquilo que nos separa. O Concelho precisa de todos.

Ao longo dos últimos 4 anos, temos dado provas disso mesmo. A ação de um executivo tem que ser agregadora de vontades, na diferença. Agregadora de pessoas na pluralidade. Agregadora de extratos sociais na complementaridade.

Na função que desempenho há 4 anos e que hoje assumi novamente, jurando por minha honra que cumprirei com Lealdade a função que me foi confiada, não há lugar para esquerdas nem direitas. Aqui há exclusivamente um Centro: Esse centro são as Pessoas do Concelho de Monforte, a sua qualidade de vida e bem-estar, a sustentabilidade económica e social deste território. O seu Futuro.

O Concelho de Monforte está preparado mais do que nunca, para fazer frente aos problemas, que os tem, e que têm que ser combatidos e resolvidos. Mas também está preparado para aproveitar as potencialidades, que são imensas.

Muitas coisas foram feitas, mas muitas mais há para fazer. A estratégia a adotar passará sempre pelo rigor e pela responsabilidade. Rigor para obter sucesso, responsabilidade para não comprometer o futuro.

O esforço feito nos últimos 4 anos na redução da dívida e no reequilíbrio financeiro da Câmara, nunca comprometeu o investimento, e será sempre este o caminho, adaptando e ajustando as necessidades das pessoas, definindo prioridades, à oportunidade de financiamento. Falo nos financiamentos comunitários, que terão igualmente que acompanhar a capacidade financeira do Município para suportar a contrapartida nacional. Ainda que tenhamos que ser ambiciosos, é imperativo sermos responsáveis e cautelosos. A gestão Municipal e de dinheiros públicos exige dos decisores o maior respeito e a maior das atenções. Este será talvez o mais nobre dos serviços. O serviço público. A defesa do interesse de todos.

Se a política de esquerda é defender os mais vulneráveis, então eu sou indubitavelmente de esquerda. Mas, na nossa ação, defender os mais vulneráveis é também defender todos os interesses dos grandes agricultores, dos investidores, dos geradores de riqueza. Daqueles que à custa do seu dinheiro ou das suas propriedades, acrescentam valor a esta região, criam emprego e distribuem os dividendos pelos trabalhadores, supostamente os mais vulneráveis. Apoiando os investidores, tocamos não só nos seus trabalhadores, como também em todas as suas famílias, criamos impacto e aumentamos a reputação do território, motivando novas apostas, novos investimentos, novas energias que valorizem a nossa identidade. Se com esta atitude, é ser de direita, então eu também sou de direita.

Declino absolutamente, argumentos e estigmas do passado, assentes em fundamentalismos infundados, obsoletos e inexistentes.

Ao presidente da Câmara cabe a função de unir e criar sinergias harmoniosas de toda a sociedade. Todos são úteis e ninguém poderá ficar de fora. Esta é a minha leitura de política, após o confronto legítimo e que se exige em eleições.

Não vou falar nas conquistas que alcançámos no último mandato, nas obras que concretizámos, até porque era maçador, dado que felizmente foram imensas. O que me conforta e tranquiliza é o que elas contribuíram para o bem-estar das populações, para a recuperação do nosso Património e para a preservação da memória coletiva, em sintonia e respeito absoluto com os nossos antepassados. Homenageando, respeitando e aprendendo com os nossos antepassados, viveremos o presente mais intensamente e estaremos mais aptos e qualificados para encarar o futuro.

E é precisamente neste futuro que quero falar:

Já depois destas eleições, recebemos em Monforte uma delegação dos mais altos responsáveis da CCDRA, por forma a preparar os próximos investimentos e com base neles construir os próximos documentos previsionais, orçamento e grandes opções do plano.

O Rossio de Monforte, que deveria ser o nosso postal ilustrado, ou cartão-de-visita, está degradado, as entradas das Freguesias têm que estar mais aprazíveis e atrativas, as comunidades de etnia cigana, apesar dos enormes esforços de ordenamento dos últimos 4 anos, carecem de uma atenção redobrada no que diz respeito à sua integração, alojamento e pedagogia. A remodelação da rede de águas e esgotos de Santo Aleixo e Vaiamonte é de extraordinária urgência. A estrada de ligação da Fonte da Vila de Assumar à IP2 e a Estrada de Santo Aleixo à Orada é também outra das grandes prioridades. A sinalética urbana, quer de trânsito, quer turística, está caótica e terá que ser igualmente alvo de remodelação. O polidesportivo de Vaiamonte, abandonado e degradado de 2009 a 2013. Tornar as piscinas municipais mais eficientes energeticamente e qualificadas. Inúmeras ruas das 4 Freguesias necessitam de repavimentações, outras mesmo, de inovadoras requalificações urbanas. O Palma Hotel de Solução. Renovar o parque de máquinas e automóvel municipal algo deteriorado.

Enumero apenas os mais gritantes e urgentes investimentos e já estou a falar de milhões de euros que são necessários para fazer face a estas obras, mas ainda faltam referir outros, que ainda não estando concluídos, tiveram início no anterior mandato, ou assegurado o seu financiamento.

Lar de Santo Aleixo, que é uma obra vital para a população e que iniciou há 2 meses atrás, que com equipamento rondará o 1,5 milhão de euros.

O Centro Escolar em Monforte que visa resolver definitivamente o problema da exposição da Comunidade Escolar ao amianto e a falta de condições que a atual escola oferece: 2,5 milhões de euros.

Se o compromisso no passado era o passivo e que com criatividade, dinâmica, muito trabalho e rigor conseguimos ultrapassar, o desafio de hoje e do próximo mandato, terá a mesma exigência, mas maior motivação ainda, pois falamos agora de oportunidades, bonança, prosperidade e emprego.

Se a todas as melhorias e investimentos, que influenciaram positivamente a vida das pessoas nos últimos anos, decorrente do investimento municipal, juntarmos um tecido económico privado, com sinais de crescimento visíveis, e uma plena clarividência do que falta fazer, acreditamos que estamos no caminho certo.

Mas continuando nos investimentos…

Brevemente iremos inaugurar mais um espaço de excelência, que à imagem desta mesma sala onde estamos, será uma grande mais valia para todos. Falo na requalificação do Hospital Velho e criação do Centro de Estudos e Formação e Universidade Sénior. Infraestrutura que além de visar a requalificação do único edifício da malha urbana do centro histórico, abandonado há mais de 50 anos. Fizemos nascer naquele local a sede, com todas as condições da Universidade Sénior, bem como um espaço aberto a toda a comunidade. Um anfiteatro apetrechado com multimédia de ponta, 3 salas de aula, uma sala de convívio, 1 cozinha, 1 pátio e 2 gabinetes em 800m2 de construção.

Ao lado deste equipamento, teve também início há pouco tempo a casa mortuária, projetadas com modernidade, conforto e acessibilidade.

A ciclovia do tapadão também já financiada.

O passeio pedonal da entrada sudeste à calçadinha, outra obra arrojada e inovadora em termos de mobilidade, já a decorrer.

A aquisição de um espaço na Zona Industrial, para desimpedir os Amarelos, onde funciona um armazém da Câmara, irá permitir a requalificação daquele espaço e finalmente colocar expostos ao público, 16 relíquias propriedade da Santa Casa, num local digno e qualificado para o efeito. Falo nos painéis de azulejos únicos no mundo que retratam a História, a vida e os milagres da Rainha Santa Isabel.

Com a existência do Centro Escolar e integração do pré e 1º ciclo de Monforte, a atual escola primária, ficará disponível para acolher as sedes das Associações e fazer nascer dali um complexo Associativo, que só no anterior mandato o Município estimulou a criação de 6 novas Associações.

O investimento previsto, licenciado até, pela Câmara Municipal da CERCITOP, visando a criação de inúmeros postos de trabalho.

A venda, que poderá estar iminente, do Palma Hotel a um poderoso grupo estrangeiro.

A possibilidade de aparecimento de um investimento na Zona industrial, num terreno que adquirimos de 7ha tendo já havido importantes conversações.

Em fase de licenciamento estão também dois investimentos na área da produção de energia fotovoltaica em 60ha do nosso Concelho.

Se lhe juntarmos o Torre de Palma Wine Hotel a funcionar em pleno, tendo sido ganha a aposta, para felicidade dos investidores e de todos, outras intenções a nível do alojamento e turismo.

A reputação do Concelho, ancorada a António Sardinha, João Moura, Paulo Caetano, José Carlos Malato, Manuel Luís Goucha, Joaquim Mourato, Fertiprado, Associação de Criadores de Bovinos de Raça Alentejana, Torre do Frade, à Montifumeiro, à Carola & Borralho, Torre das Figueiras, ao Rafeiro do Alentejo, ao Cão da Serra d’Aires. À sua ímpar cultura, tradições, História, Edificado Religioso, Património, à Tauromaquia, à cinegética. Mas também à Célia Cabeleireiros, à Cristina Cabeleireiros, à Sofia Nunes, à nossa restauração e comércio. Ao Zé, ao Manel, à Maria e à Joaquina… A todos quantos formam esta maravilhosa população de princípios e valores… Aos nossos Bombeiros Voluntários de Monforte, à nossa GNR, à nossa Universidade Sénior, que é uma referência nacional, ao Centro de Recuperação de Menores e restantes IPSS’s. O nosso Concelho vale como um todo e, se cada um de nós trabalhar com afinco e empenho, o resultado só pode ser um: O êxito de todos, o êxito do Concelho de Monforte. A Câmara Municipal é só mais uma outra entidade, com competências mais alargadas e específicas é certo.

Mas não estamos sós…. Neste cada vez maior conceito de mundo global, estamos em conjunto com Concelhos limítrofes, lutando diariamente contra o despovoamento e a desertificação destes territórios e sinto também que todos eles, cada um com as suas características e identidade desempenham bem a sua função. Os problemas são transversais e o fundamental continuam a ser sempre as Pessoas, Património maior de qualquer fronteira.

Depois da Região está o País a que pertencemos, a Europa e o Mundo.

O Município de Monforte tem que estar perfeitamente integrado em todas estas dimensões, sensível e desperto. De maneira que continuaremos a estar de braços abertos, reforçando mesmo todas as relações institucionais, por forma a aproveitar e beneficiar de todas as oportunidades, que forem surgindo.

Peço empenho a todos os meus colegas de executivo, bem como a todos aqueles que hoje tomaram posse. Queremos honrar os nossos antepassados? Queremos homenagear e reforçar a nossa identidade? Queremos sustentar este território? Queremos dar melhores condições de vida aos munícipes e a quem cá trabalha e nos visita? Queremos estar ao lado das crianças, dos jovens, dos ativos e dos idosos? Na ação social, na cultura, no desporto, na educação, na habitação? Então que saibamos aproveitar bem esta missão e que com espírito e responsabilidade de serviço público, que se impõe, estejamos sempre à altura da grande confiança que o povo depositou em nós.

Aos Funcionários da Câmara. Tenho a certeza de que contarei convosco. Mas mais do que contar convosco, é estar ao vosso lado. E só passaremos para a frente, quando for para vos voltar a puxar para o nosso lado. Vêm aí boas notícias no que à valorização dos trabalhadores diz respeito. Honremos sempre o nosso posto de trabalho e que o saibamos sempre defender.

Estou muito contente pelo facto de aos 40 anos, ter sido reeleito presidente da Câmara Municipal de Monforte. É para mim uma grande Honra e satisfação. Mas gozo muito pouco desse sentimento. Por detrás deste estatuto, está o peso da responsabilidade que tanto respeito. Estão séculos de história, escrita por tantas e tantas pessoas, tão melhores e tão maiores que eu. Quando os holofotes, um dia deixarem de incidir sobre mim, quero olhar para trás e ter a consciência de que fiz tudo o que estava ao meu alcance, para dignificar as nossas gentes, honrar os que me antecederam e os que me sucederão. Porque o Concelho não pode parar. Sinto-me só mais um, tão pequenino para tão nobre e grandiosa Missão.

Às nossas famílias…. Peço paciência e compreensão…. Os filhos orgulham-se sempre dos pais….

Faço votos para que todos os filhos de todos estes cidadãos, que agora foram empossados, se orgulhem, além dos pais…. do presidente da Câmara, dos vereadores, dos presidentes de junta e de todos os eleitos no nosso poder local. Porque todos eles, estão a fazer parte e a contribuir para construção de um Concelho mais apto, mais justo, mais capaz, mais solidário e mais desenvolvido… afinal ele foi, é e será sempre o nosso querido Concelho de Monforte. Temos, Estamos e Somos Monforte!!!

Vivam as Nossas Gentes! Viva o Concelho de Monforte! Viva Portugal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.