Município assegura medicamentos gratuitos para 300 idosos

Notícia publicada pela CM Monforte

Atualmente, já são cerca de 300 os residentes no Concelho de Monforte portadores do “Cartão abem” que, ao abrigo de um protocolo estabelecido, em setembro do ano transato, entre a respetiva Câmara Municipal e a Associação Dignitude, podem, agora, adquirir gratuitamente todos os medicamentos comparticipados que lhes sejam prescritos por receita médica.

Recorde-se que o Município de Monforte foi um dos seis escolhidos para integrar um projeto-piloto lançado por essa instituição particular de solidariedade social, que nasceu da parceria entre o setor social (Cáritas Portuguesa e Plataforma Saúde em Diálogo) e o setor da saúde (Associação Nacional das Farmácias e Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica) e que é responsável pelo desenvolvimento, operacionalização e gestão do “Programa abem – Rede Solidária do Medicamento”, o primeiro programa solidário dinamizado por essa instituição, através do qual foi criado e está a ser dinamizado o “Cartão abem”.

Os beneficiários monfortenses são cidadãos referenciados no âmbito da aplicação das medidas abrangidas pela iniciativa «Cartão Municipal do Idoso», que a autarquia tem vindo a implementar de modo a materializar diferentes formas de apoio a idosos mais carenciados economicamente e que, assim, cumprem também os requisitos para usufruir das condições muito mais vantajosas que lhes são oferecidas através da referida Rede.

“No entanto”, declarou recentemente Gonçalo Lagem, o Presidente do Executivo monfortense, “se, por um lado, devo sentir-me bastante satisfeito pelos efeitos extremamente proveitosos que esta parceria já produziu, por outro, tenho que lastimar que, num Concelho como o nosso, com uma população de 3.300 habitantes, o número de idosos que se encontram nessa situação de insuficiência económica seja proporcionalmente tão elevado. Lamentavelmente, esta é uma realidade que se verifica por todo o país, ocorrendo com maior incidência nos centros urbanos, onde muitos cidadãos integrados em grupos sociais mais vulneráveis estão mais desprotegidos.

Contudo, se este auxílio não fosse facultado pelo Município, muitos dos nossos idosos doentes, conforme alguns desabafaram quando receberam o seu cartão, não poderiam aviar as suas receitas médicas”.

“Apesar de tudo”, concluiu o edil, “apraz-me constatar que, desde que intensificámos estes apoios sociais, o número de interessados duplicou rapidamente, facto que vem confirmar que o esforço financeiro que temos realizado nesta área tem sido bastante recompensado. Refira-se que a Câmara Municipal comparticipa cada cartão com 80,00€, representando atualmente um investimento de 24.000€, mas este é, talvez, o investimento mais gratificante que temos estado a aplicar, uma vez que estamos a contribuir para o bem-estar e a melhoria da qualidade de vida desses idosos.

Sei também que, enquanto autarca, e já o afirmei várias vezes, as minhas responsabilidades sociais são acrescidas. Portanto, esta iniciativa serviu igualmente para agitar consciências e se notarmos que, a cada dia que passa, recebemos mais uma candidatura, temos que concluir que efetivamente se trata de uma medida de grande utilidade e importância”.

Veja aqui a Galeria Fotográfica

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.