Entrevista ao responsável do Partido Socialista (PS) em Monforte: Miguel Rasquinho

– Quais os planos do seu partido para Santo Aleixo?

Os planos do PS para Santo Aleixo mantém-se intactos desde as últimas eleições autárquicas de 2013. Esta é a freguesia que mais problemas de emprego tem tido nos últimos anos. Por isso, desde 2009 que pugnámos pela criação de condições que, cumulativamente, resolvessem o problema do apoio aos idosos e do emprego. Assim, e contra a vontade de muita gente que agora até se diz a favor, iniciámos o processo de construção do Lar de Santo Aleixo. Elaborámos o projecto, expropriámos o terreno de uma parte do campo de futebol para a sua construção e avançámos com a candidatura. Também o apoio aos jovens da freguesia continua a ser uma das nossas principais preocupações. O desenvolvimento de projectos de colaboração entre o município e as associações juvenis são fundamentais! Por último, a questão relativa à reparação da rede de águas e esgotos que continua a ser uma das mais prementes necessidades da população.

– Alguma grande novidade em vista?

A grande novidade em vista é, tão somente, a inexistência de novidades para Santo Aleixo nestes últimos quatro anos! Aparte a construção do Lar, um projeto do PS, o qual parece que vai mesmo arrancar no próximo ano de 2017 (curiosamente ano de eleições autárquicas.. ) nada mais tem existido de novo nesta freguesia.

– O que se pode mudar no Concelho?

Acima de tudo aquilo que se pode mudar no Concelho é a forma de serem vistos os períodos autárquicos. Explicando melhor, aquilo a que temos assistido nos últimos quatro anos é exactamente o expoente máximo daquilo que estou a dizer. Andamos há três anos a “marcar passo”, sem fazermos o caminho que é necessário ser feito, e pensando apenas e só nas eleições autárquicas de 2017. Relembro aqui uma breve história. No anterior mandato 2009-2013, aquando da inauguração da recuperação da estrada de Vaiamonte (que já vinha sendo reclamada há mais de 20 anos) no segundo ano desse mesmo mandato, alguém me dizia ao ouvido: ” Porque é que não guardas isto para o fim do mandato? “. Respondi obviamente que não! As pessoas e o Concelho têm necessidades urgentes que precisam ser resolvidas no imediato e não apenas e só no ano das eleições!

– O que tem achado do mandato do atual presidente da Câmara?

Relativamente ao atual mandato CDU na Câmara de Monforte não gostaríamos ainda de nos pronunciar. Estamos a cerca de 10 meses de eleições autárquicas e não é este o momento para fazermos essa análise. Este é o momento de ouvir aquilo que os munícipes têm a dizer. No entanto, podemos adiantar que aquilo que ouvimos não é muito abonatório do trabalho que (não) está a ser realizado. O comentário geral é mesmo este: ” mais valia que tivéssemos eleições todos os anos “…

– Quais os objetivos para as próximas eleições, a realizar no próximo ano?

Os objetivos do PS para as próximas eleições autárquicas são simples e claros! Delinear uma estratégia concelhia (o que tem estado a ser feito há já algum tempo com os militantes, simpatizantes e independentes), integrar os nossos objetivos nos do distrito de Portalegre, uma vez que não nos podemos dissociar de todo o território tendo que existir, acima de tudo, um sentimento de solidariedade entre todos os municípios e posteriormente apresentar o nosso projecto aos munícipes, explicá-lo e defendê-lo da melhor forma possível. Naturalmente que, na sequência de tudo isto, a vitória em todos os órgãos autárquicos do Concelho de Monforte é fundamental.

– Já há candidato à Câmara do seu partido? Quem?

Não, de momento ainda não está definido o candidato do PS à Câmara de Monforte. O seu perfil está definido e existem várias hipóteses que estão em cima da mesa e a ser avaliadas.

– O melhor e o pior do Concelho?

– O melhor: os nossos munícipes, as nossas freguesias, as nossas tradições, a nossa forma de ser e estar!

– O pior: as dificuldades de crescimento e desenvolvimento pelo qual passa atualmente o nosso Concelho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.